Uma das tendências mais hot desse cenário e que vem chamando a atenção, são as ilhas gastronômicas que prometem vir com tudo e dar um up nas produções. E digo mais: opções são o que não faltam! Ilhas fixas, ilhas de degustação volante e até mesmo food bikes de extremo estilo.  Se você está atrás de um casamento moderno, essa será uma boa opção a ser escolhida.

Como funciona as ilhas gastronômicas

– Mais liberdade para seus convidados: dessa forma, seus convidados poderão escolher a melhor hora para comer, sobrando mais tempo para interação com a festa.

Ilhas gastronômicas ganham espaço em casamentos

– Um novo clássico: no modo tradicional, elas funcionam de forma a completar a entrada, sendo servida juntamente com o coquetel.

– Só as ilhas: se por ventura você quiser dispensar o bufê, a dica é que invista em um coquetel bastante farto, mantendo as ilhas até o final da festa e colocando algumas opções de pratos volantes.

Diversão e independência: ilhas gastronômicas em casamentos

E o preço? Acessível! É o velho ditado: o combinado não sai caro. O custo total acaba sendo calculado por tempo de trabalho e por quantidade de produto que for oferecido. Tudo isso dependerá do bufê, do tipo de ilha selecionado e até mesmo do cardápio oferecido. Por isso, deixe tudo acertado com o seu fornecedor antes da festa (vide guia de fornecedor).

Pra não ter erro: a conta ideal seria de 800 gramas de comida por convidado. Contudo, se você escolher a opção de levar apenas as ilhas à sua festa, a quantidade deverá aumentar para 1,5 kg.

Ah, existem algumas regrinhas básicas: todas as ilhas da sua festa deverão ter comida o suficiente para satisfazer a todos os convidados, mesmo que haja mais de uma espalhada pela festa. Se você optar por escolher uma temática X, procure oferecer algo diferente na outra ilha.

Categorias: casamento